Ana Lúcia Frutuoso

ANA LÚCIA FRUTUOSO tem 32 anos, é natural de Vila Real e reside atualmente em Rio Tinto, distrito do Porto. É licenciada em Terapia Ocupacional há mais de uma década (2007), pela ESS-Porto e desenvolveu, desde então, o seu trabalho como terapeuta ocupacional num Centro Comunitário em Santa Maria da Feira até Janeiro de 2018, passando a integrar o Centro Social de Soutelo, em Rio Tinto.

Para além disso, Ana Lúcia é orientadora de estágios desde 2008, de alunos da ESS-Porto, ISAVE, CESPU e ESS-Leiria e tem vindo a acumular um vasto conhecimento e experiência no que respeita ao acompanhamento de pessoas com deficiência mental e patologias do foro psiquiátrico.

Em 2011 criou a marca ZenSenses – Terapia pelos Sentidos e dá Formação em Terapia Snoezelen e outras atividades terapêuticas desde essa altura.

Na área da responsabilidade social, criou um projeto de voluntariado em Cabo Verde com crianças carenciadas em 2013, transformando-se, entretanto, na Associação SER+ DAR+ Terapeutas Sem Fronteiras em 2016, na qual é presidente de Direção.

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional começa com a compilação de informação sobre o cliente, bem como através da análise de diferentes avaliações já realizadas, detetando quais são os componentes do desempenho ocupacional afetados. Após esse diagnóstico, são traçados os objetivos e o respetivo plano de atuação.

Competências Motoras

  • Amplitude de movimento;
  • Coordenação motora global e fina;
  • Coordenação óculomanual;
  • Controlo postural;
  • Tónus e força.

Competências Sensoriais

  • Registo, modulação e discriminação das diferentes sensações: visuais, tácteis, auditivas, olfativas, proprioceptivas, vestibulares.

Competências Cognitivas

  • Nível de alerta;
  • Atenção;
  • Integração de conceitos;
  • Memória;
  • Resolução de problemas.

Competências Psicossociais

  • Motivação;
  • Autoestima;
  • Iniciativa;
  • Maturidade emocional;
  • Habilidades sociais;
  • Respeito de turn-taking.

(Alguns dos componentes do desempenho ocupacional)

Após fazer a programação dos objetivos, o terapeuta organiza a sessão e o material em função dos componentes que vai trabalhar no paciente. O ambiente deverá ser facilitador da aprendizagem e as técnicas utilizadas deverão proporcionar oportunidades de escolha, potenciar uma correta noção da gestão de tempo, da repetição e da atitude.

Fonte: “Huertas Hoyas E. La Sala Snoezelen en Terapia Ocupacional. TOG (A Coruna, versão online), 2009.”